Como demitir um empregado por justa causa?

NOVIDADE: Agora você pode calcular seus direitos trabalhistas online. Clique aqui e acesse nossa Calculadora Trabalhista.

Aqui no blog, já falamos bastante sobre direitos que o empregado tem por lei. E olhe que não são poucos.

Muitas vezes, no entanto, são os próprios empregados que fazem por merecer uma demissão por justa causa. Seja faltando injustificadamente seguidas vezes, trabalhando preguiçosamente, desobedecendo ordens, entre outros.

Nesse caso, como a empresa deve proceder para demitir um empregado por justa causa e se resguardar de uma possível ação na justiça do trabalho que certamente virá logo em seguida?

Bem, o primeiro passo é dar algumas advertências (indicamos 3) na medida em que forem acontecendo os atos faltosos do empregado.

Observe que a advertência deve ser por escrito e entregue pessoalmente ao trabalhador.

Mas, e se o empregado se recusar a assinar a advertência?

Nesse caso, o empregador poderá chamar outros 2 empregados para assinar como testemunhas de que o empregado que cometeu a falta foi realmente advertido.

O próximo passo, depois de 3 advertências, é a suspensão. Recomenda-se 3 tipos de suspensão: A primeira mais branda de 1 dia apenas, a segunda de 3 dias e a terceira de 5 dias.

Lembrando que no período de suspensão o empregado NÃO recebe o salário pelos dias suspensos.

Agora, quando o empregado já levou 3 advertência e 3 suspensões e continua cometendo faltas graves muitas vezes no intuito até de ser demitido sem justa causa. O que fazer?

Após 3 advertência e 3 suspensões devidamente documentadas pelo empregador, caso o empregado continue a cometer faltas graves no ambiente de trabalho, o empregador poderá aplicar uma demissão por justa causa no trabalhador.

Acontece que, quase sempre o empregado se recusa a assinar a justa causa, bem como a receber os direitos rescisórios. Os sindicatos, da mesma forma, não homologam demissão por justa causa.

Como aplicar uma justa causa no empregado?

Como aplicar uma justa causa no empregado?

Como fazer para a empresa se resguardar então? Precisa, necessariamente ir para a justiça?

A resposta é não. Para empresa se resguardar, basta efetuar o pagamento dos direitos do empregado dispensado (pode ser em conta corrente de preferência).

Ao fazer esse pagamento, a empresa está purgando a mora, bem como demonstrando a boa-fé de pagar tudo o que o empregado tem direito por lei.

Portanto, a  justa causa precisa passar pela justiça para valer?

A resposta é negativa novamente. O empregador possui o direito de demitir o funcionário por justa causa quando esse cometer as faltas graves previstas lei.

Dessa maneira, seguindo o empregador os passos explicados nesse post, estará resguardado no momento em que o empregado dispensado por justa causa procurar a justiça pra tentar reverter a situação.

Ainda está com dúvida e tem uma pergunta para fazer? Consulte um Advogado online GRÁTIS:

Advogado Online tira suas dúvidas

Compartilhe esse artigo

Se você gostou desse artigo, ajude a deixar tudo mundo sabendo. Compartilhe-o nas suas redes favoritas, clicando abaixo:

Comentários

Páginas:


Evandro Jandira SP
em 17/12/2013

a empresa com grau de risco 4 todos tem direito a insalubridade.

pernambuco
em 28/11/2013

tenho um ano e cinco meses passei a ter folga depois de três meses sendo que eles nem mim pagavam pelos domingos que trabalhei de graça fora feriados que ainda trabalho, estou pensando em ir viajar mesmo sem eles não mim dispensar, gostaria de de saber se eu viajar ele pode mim mandar embora por justa causa .obrigada ,bom dia.

Luzinete Silva, Recife - PE
em 08/11/2013

Boa tarde. Tenho uma dúvida a respeito da CTPS. Trabalho em uma empresa há quase 3 anos, minha carteira foi assinada na admissão, porém, não registraram 13°, férias e etc. decorrentes desse período trabalhado. Fiz um concurso público para uma empresa pública regida pela CLT, no qual fui aprovada dentro das vagas e pretendo assumir o emprego público. Quando houver a convocação, terei 5 dias para apresentar toda documentação na empresa pública, incluindo a CTPS. Só pretendo pedir demissão da empresa atual que trabalho após a convocação. Li na internet que o prazo máximo de retenção da CTPS é de 48 horas. Porém, caso o empregador atual retenha por um maior prazo minha CTPS, eu posso tirar uma 2° via da CTPS para dar entrada na empresa pública, e depois que houver a baixa do emprego na empresa privada, posso desativar a 1° CTPS e considerar só a 2°? Ou posso dar entrada na empresa pública mesmo sem ter dado baixa em relação ao emprego anterior? Há algum problema em tirar uma 2° via da CTPS para agilizar meu emprego na empresa pública, enquanto a empresa anterior regulariza a demissão? Estou preocupada com isso, pois só terei 5 dias após a convocação do concurso público para apresentar toda documentação na empresa pública.

Escreva aqui